Acesse sua conta

Sou assinante, mas ainda não possuo acesso digital

Solicite sua senha de acesso pelo telefone 27 3321.8000, ou informe seu CPF e email cadastrados.


TROCAR SENHA


Envie sua mensagem

Nos envie sua sugestão, crítica ou reclamação,
Estamos pronto para ouvir o que você tem a dizer.


SEU NOME
SEU E-MAIL
SEU TELEFONE
MENSAGEM




Policial rodoviário federal é encontrado morto com tiro na cabeça dentro de carro na Mata da Praia

     

30/03/2014 - 13h08 - Atualizado em 30/03/2014 - 22h39
Autor: Ana Paula Mill | [email protected]

Moradores da Rua José Pinto da Silva ligaram para a polícia avisando que a vítima estava nua

Jhon Wenner Reco Alves de Araújo, 22, preso e apresentado como o assassino do Policial Rodoviários Federal José Miguel do SacramentoO policial rodoviário federal João Miguel do Sacramento, 45 anos, foi morto a tiros dentro do carro dele, estacionado na Rua José Pinto da Silva, na Mata da Praia, em Vitória, na madrugada deste domingo (30). O corpo do policial foi encontrado por moradores, por volta das 8 horas. O crime chocou a comunidade.

Miguel estava nu, usando um preservativo e sentado no banco do motorista. Peritos criminais encontraram quatro perfurações no corpo dele: duas no lado esquerdo, próximas ao pescoço, uma no lado esquerdo do rosto, perto do nariz e outra na testa. Segundo o delegado Marcelo Cavalcante, ainda não é possível concluir quantos foram os disparos, visto que as perfurações podem ser de entrada e saída – isto é, duas balas teriam deixado quatro ferimentos.
 
Na tarde deste domingo, a polícia prendeu o travesti Jhon Wener Reco Alves de Araújo, 22, que usa o apelido John Lennon durante os programas. Segundo a polícia, não há dúvidas de que ele seja o homem que aparece nas imagens registradas pelas câmeras de videomonitoramento de prédios vizinhos ao local do crime. Uma testemunha reconheceu o travesti.

Testemunhas disseram a policiais da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) que ouviram tiros por volta das 4 horas deste domingo. Em seguida, viram uma pessoa saindo de dentro do carro e correndo em direção à praia. A polícia, no entanto, só foi acionada de manhã, quando moradores viram que o policial estava morto.
 
Sem roubo

No veículo da vítima, o Renault Fluence prata MTN 2491, peritos criminais encontraram todos os pertences de Miguel, à exceção de sua arma: a carteira com cerca de R$ 500, documentos, celular, óculos, tênis, calça, e o coldre da arma. Na rua, do lado do carona do veículo, os policiais recolheram um cachimbo para consumo de crack e um batom. No lado do motorista, perto do carro, foi achada uma embalagem de lubrificante.
 

 
A suspeita da polícia é de que o travesti tenha pegado a arma da vítima, atirado e levado a pistola. O delegado acredita que seja um révólver calibre 38. Não foram encontradas cápsulas ou projéteis dentro do carro. Havia somente um copo, com a marca de uma festa ocorrida na noite de sábado, no Pavilhão de Carapina, na Serra. Miguel usava uma pulseirinha do evento no braço direito e um relógio no braço esquerdo.

Travesti nega

Na DHPP, Jhon negou o crime. Segundo ele, João Miguel o abordou na Avenida Adalberto Simão Nader e pediu por um programa, mas disse que só tinha R$ 20. Depois de dar uma volta pelos arredores, ele voltou a abordar o travesti e teria dito que pagaria aquele preço por sexo oral.

Jhon alega que estava dentro do carro com a vítima quando uma dupla de bandidos teria chegado e mandado que saísse do carro e corresse. O travesti afirma que enquanto corria ouviu um disparo, mas ficou assustado e não chamou a polícia.

Data: 30/03/2014 - ES - Vitória - Pais de  João Miguel Sacramento, policial rodoviário federal, chegam no local em que o filho foi morto, na Mata da Praia. - Editoria: Polícia - Foto: Bernardo Coutinho - NA  O suspeito foi encaminhado para o Centro de Triagem de Viana e será indiciado por homicídio duplamente qualificado. O crime será investigado Delegacia de Crimes Contra a Vida, de Vitória.
 
“Senti que meu filho não estava bem”, diz pai
 
O pai e a mãe de João Miguel do Sacramento estiveram no local do crime, na manhã deste domingo, e reconheceram o carro do policial, o Renault Fluence prata, que está em nome da mãe. O corpo já havia sido recolhido.

Muito abalada, a mãe reconheceu o carro imediatamente. Mas não quis falar sobre o assunto. O pai, de 77 anos, também estava chocado.

Ele contou que assiste à missa todos os domingos na Igreja São Camilo, que fica no bairro. Domingo, ao passar pela rua, retornando da igreja, ele viu o movimento de pessoas e da polícia. Porém, não chegou a reconhecer o veículo.

“Desde as 4 horas eu estava sentindo que alguma coisa não estava bem com o meu filho. Era um aperto no peito. Ao chegar em casa, depois da missa, falei com a minha mulher: ‘Eu acho que mataram o menino’. Voltamos aqui e reconhecemos o carro”, contou o pai do policial.

Desde pequeno Miguel do Sacramento sonhava ser policial rodoviário federal. Passou no concurso da PRF em 2º lugar entre 55 mil candidatos. Ele trabalhava na Serra, no Núcleo de Operações.

Miguel era separado e deixa um casal de filhos, de 20 e de 22 anos. Ele morava sozinho, em Jardim Camburi. Segundo colegas de trabalho, ele tinha uma namorada.
 
Depoimentos
 
Prostituição

Eu estava dormindo, com o ar-condicionado ligado, e não escutei nada. Acordar com uma cena dessas no domingo pela manhã é muito triste. Moro aqui há 20 anos, no mesmo prédio, e nunca vi um assassinato nessa região. Mas ali na esquina tem muita prostituição. A gente vê isso toda noite, o ponto deles é na esquina

X, 53 anos, aposentada


 
 
 
 
 
 
 
Surpresa

Fui passear com a minha cachorra às 5 horas, como faço todos os dias. Passei por esse carro estacionado, e vi o homem lá dentro. Na hora, não pude imaginar que estava morto. Eu achei que ele estava tão bêbado, depois de ter saído de alguma festa, que não conseguiu nem subir para o apartamento e dormiu ali

N, 55 anos, aposentado


 
 
 
 
 
 
 
Luto na PRF

Ele era um colega operacional, muito bom policial. A PRF vai acompanhar de perto e dar todo o apoio necessário à família do policial. Hoje, as PRFs do Espírito Santo e do Brasil estão de luto, pela perda do nosso colega que tantos trabalhos realizou dentro e fora do Estado

Inspetor Edmar, policial rodoviário federal



Fonte: Da Redação Multimídia

Assine A GAZETA, fique bem informado e participe do Clube do Assinante

Clique e assine: A Gazeta - Impressa ou Digital


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE


MAIS LIDAS

Notícias >

PUBLICIDADE

Gazeta Online, 2013 - Todos os direitos reservados.